Prefeitura de Nova Floresta esclarece sobre substituição de algumas arvores no centro

355

Durante toda a semana corrente tem se intensificado as discussões sobre a nova arborização do Município e cabe ao órgão Prefeitura Municipal de Nova Floresta, esclarecer o trabalho que vem sendo realizado com as plantas ornamentais do Município.
Reafirmando um compromisso da Gestão do Prefeito Jarson, foi iniciada mais uma obra estruturante no Município, a dos canteiros centrais, após a realização do Projeto Arquitetônico e análises técnicas do ambiente físico dos quase 50 canteiros da rua Felinto Florentino, observou-se que alguns de seus canteiros possuíam árvores antigas, já com raizes superficiais rompendo calçadas e calçamentos, com influência negativa no trânsito da cidade e principalmente com pouca saúde apresentando alto índice de cupim que após o tratamento ficaram vulneráveis aos fortes ventos e chuvas podendo causar maiores prejuízos a segurança de crianças, idosos e munícipes em geral.


Toda equipe técnica envolvida no Projeto chegou à conclusão de que aquelas árvores passariam por um processo de reflorestamento, ou seja, SUBSTITUIÇÃO das mesmas.
Ademais, haverá uma compensação com o plantio de novas árvores para renovar e embelezar o local, mesclando com plantas florais e sombreiras, propícias à arborização urbana. Queremos destacar para a comunidade que somos conscientes e acima de tudo temos uma postura ética do dever de plantar árvores nas vias públicas e de manter as existentes saudáveis; isso significa que, às vezes, algumas árvores terão que ser retiradas em razão do vigor ou de algum outro problema já destacado.
A cerca da imagem que circula em alguns meios de comunicação, vale salientar que a algaroba da família leguminosa e é nativa do Peru, e não está em extinção no Brasil, não sendo assim crime ambiental a podação parcial ou total quando assim necessário.
Reforçamos nosso compromisso com os aspectos físicos e ambientais do Município, e contamos com a compreensão dos diversos fatores que influenciam no crescimento de uma cidade com 60 anos e necessita de adequações para continuar caminhando ao futuro.